Alertas e Noticias fiscais - Agosto e setembro 2012

VolverVisualizar e download de arquivo PDF 

ALTERAÇŐES LEGISLATIVAS E INSTRUÇŐES ADMINISTRATIVAS RELEVANTES DE 1 A 30 DE SETEMBRO 

ALTERAÇŐES LEGISLATIVAS

  • Lei n.º 50/2012, de 31 de agosto:

    Aprova o regime jurídico da atividade empresarial local e das participações locais e revoga a Lei n.º 53-F/2006, de 29 de Dezembro, e a Lei n.º 55/2011, de 15 de Novembro.

  • Decreto-Lei n.º 198/2012, de 24 de agosto - DR n.º 164 - Série I

    Estabelece medidas de controlo da emissão de faturas e outros documentos com relevância fiscal, define a forma da sua comunicação à Autoridade Tributária e Aduaneira e cria um incentivo de natureza fiscal à exigęncia daqueles documentos por adquirentes pessoas singulares.

    Este diploma veio criar medidas de controlo à emissão de faturas e outros documentos fiscalmente relevantes e vem estabelecer um incentivo em sede de IRS, de parte do IVA pago. Vem ainda efetuar um conjunto de alterações ao regime de bens em circulação regulamentado pelo Decreto-Lei n.º 143/2003, de 11 de julho.

  • Decreto-Lei n.º 197/2012, de 24 de agosto - DR n.º 164 - Série I:

    Introduz alterações no Código do IVA, no Regime do IVA nas Transações Intracomunitárias e alguma legislação complementar, transpondo o artigo 4.º da Diretiva n.º 2008/8/CE, do Conselho, de 12 de Fevereiro, em matéria de localização das prestações de serviços, e a Diretiva n.º 2010/45/UE, do Conselho, de 13 de julho, em matéria de faturação, dando execução às autorizações legislativas constantes do artigo 128.º da Lei n.º 64-A/2011, de 30 de Dezembro.

    Este diploma vem introduzir alterações em matéria de faturação e também em sede de localização das prestações de serviços de localização de meios de transporte (que não sejam de curta duração). Há alterações que produzem apenas efeitos a partir de 1 de janeiro de 2013, mas já há algumas que produzem efeitos já a partir do dia 1 de outubro.

  • Portaria n.º 240/2012, de 10 de agosto:

    Aprova o modelo da participação de rendas e o respetivo Anexo 1, bem como as correspondentes instruções de preenchimento.

  • Decreto do Presidente da República n.º 139/2012, de 9 de agosto:

    Ratifica a Convenção entre a República Portuguesa e a República Democrática de Timor-Leste para Evitar a Dupla Tributação e Prevenir a Evasão Fiscal em Matéria de Impostos sobre o Rendimento, assinada em Lisboa em 27 de Setembro de 2011.

  • Aviso n.º 69/2012, de 9 de agosto:

    Torna público que foram cumpridas as formalidades constitucionais internas de aprovação da Convenção entre a República Portuguesa e a República do Panamá para Evitar a Dupla Tributação e Prevenir a Evasão Fiscal em Matéria de Impostos sobre o Rendimento, assinada na cidade do Panamá em 27 de Agosto de 2010.

  • Resolução da Assembleia da República n.º 112/2012, de 9 de agosto:

    Aprova a Convenção entre a República Portuguesa e a República Democrática de Timor-Leste para Evitar a Dupla Tributação e Prevenir a Evasão Fiscal em Matéria de Impostos sobre o Rendimento, assinado em Lisboa em 27 de Setembro de 2011.

INSTRUÇŐES ADMINISTRATIVAS

OUTROS TEMAS

  • Acórdão do Supremo Tribunal Administrativo, de 19 de abril de 2012, proferido no Processo 036/12.

    Sumário:

    I – Os atos tributários estão sujeitos a fundamentação (art.º. 268.º, n.º 3, art.º. 125.º do CPA).

    II – A liquidação de IMI que não dá conta alguma da forma como foi determinado o valor patrimonial tributário não pode ter-se por suficientemente fundamentada, a menos que se demonstrasse que a AT anteriormente tinha procedido à pertinente comunicação dos motivos por que esse valor foi fixado no montante considerado naquele ato.

    Nesta decisão proferida por unanimidade no âmbito de uma impugnação a uma nota de liquidação de Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI) apresentada por um proprietário, o Supremo Tribunal Administrativo (STA) veio declarar a ilegalidade da mesma, com base na sua insuficiente fundamentação. De acordo com a informação divulgada, o STA considerou que a nota de liquidação do IMI não continha os elementos necessários à demonstração da liquidação, i.e., do montante de imposto apurado.

    Com base nesta decisão, os proprietários de imóveis sitos em Portugal podem contestar as notas de liquidação de IMI, através de arbitragem, impugnação, reclamação graciosa ou de um pedido de revisão oficiosa do ato tributário. Este pedido poderá ser efetuado para o IMI relativo ao ano de 2008 e seguintes.

A BELZUZ encontra-se inteiramente disponível para auxiliar e esclarecer os eventuais interessados na tutela dos seus interesses legítimos.

Departamento Derecho Fiscal y Tributario | Lisboa (Portugal)

 

Belzuz Advogados SLP

La presente publicación contiene información de carácter general sin que constituya opinión profesional ni asesoría jurídica. © Belzuz Abogados, S.L.P., quedan reservados todos los derechos. Se prohíbe la explotación, reproducción, distribución, comunicación pública y transformación total o parcial, de esta obra, sin autorización escrita de Belzuz Abogados, S.L.P.

Madrid

Belzuz Abogados - Despacho de Madrid

Nuñez de Balboa 115 bis 1

  28006 Madrid

+34 91 562 50 76

+34 91 562 45 40

Esta dirección de correo electrónico está siendo protegida contra los robots de spam. Necesita tener JavaScript habilitado para poder verlo.

Lisboa

Belzuz Abogados - Despacho de Lisboa

Av. Duque d´Ávila, 141 – 1º Dtº

  1050-081 Lisboa

+351 21 324 05 30

+351 21 347 84 52

Esta dirección de correo electrónico está siendo protegida contra los robots de spam. Necesita tener JavaScript habilitado para poder verlo.

Oporto

Belzuz Abogados - Despacho de Oporto

Rua Julio Dinis 204, Off 314

  4050-318 Oporto

+351 22 938 94 52

+351 22 938 94 54

Esta dirección de correo electrónico está siendo protegida contra los robots de spam. Necesita tener JavaScript habilitado para poder verlo.

Asociaciones

Subir